Pesquisar este blog

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Curtas urbanas.

Comprar um carro é um grande acontecimento, mas essa tarefa fica difícil quando você tem como esposa a Júlia e como marido o Glauber. Aí tudo termina em confusão ou melhor ainda numa encrenca tremenda.

O sequestro.

-Temos esse Audi 169 com ar-condicionado, portas com travamento eletrônico, bancos cobertos com pele de hiena. R$ 69.949,00.
-Quanto?
-Só R$ 59.949,00.
-Ele leva.
-Júlia!
-Nem que a gente passe a vida pagando, a pé não ando mais.
-E quem disse que você vai usar o carro?
-Glauber você não vaid eixar eu usar o carro?
-Júlia o dinheiro é meu.
-Eu fiz curso de direção.
-E foi reprovada três vezes.
-Você é mesquinho Glauber. Glauber você pega esse carro e o...
-Senhora acalme-se. - o vendedor.
-Quem disse que eu estou nervosa? Eu posso gritar que isso não significa que estou nervosa, eu posso ameaçar quebrar tudo aqui e isso não quer dizer que estou nervosa.
-Júlia conversamos em casa. - o vendedor.
-Eu só quero saber se vão comprar o carro.
-Cala boca porra! - os dois.
-Glauber eu casei sem saber a sogra  que eu iria ter. Eu aturei até as traições com as botas.
-Júlia menos. - ele vira-se para o vendedor -Eu vou levar o carro.
-Júlia emburrada dentro do carro e Glauber dirigindo.
-Vou entrar no posto para abastecer o carro..
Abastecem o carro e saem.
-Ainda brava comigo?
-Eu tô com cara de mal comida?
-E como seria cara de mal comida?
-Ao amanhecer experimente você se levantar e olhe para a minha cara.
-Assalto! Saem do carro.
-Pelo amor de Deus!
-Glauber deu agora pra ser religioso. Você era um berege.
-Herege Júlia!
Entra os assaltantes no carro.
-Levem ele, pois amanhã tenho hora marcada no salão.
-Vai anda! - o assaltante.
-Ai minha Nossa Senhora -Glauber tremendo -Isso é um assalto?
-Tu é lento hein tio! É um sequestro. E aqui não é TV da Xuxa, é a realidade sacou?
Os bandidos levam Júlia e Glauber a uma casa perto de um matagal.
Jogam Júlia no colchão.
-Aí! Eu sou sensível.
-Sequela o cara tá todo mijado.
-Glauber. -Júlia começa a dar tapas ombro dele -Seja homem uma vez na vida, eu sei que é difícil. Não liguem ele é meio  lesado da cabeça, casei com ele por causa das cotas.
-Júlia!
-Vai por mim é melhor sair com fama de demente do que sair da história com fama de covarde. - fala no ouvido do marido -Eu aposto até que ele agora tá todo cagado.
-Liga pra quem pra pedir o resgate?
-Mainha. -Glauber.
Júlia dá risada.
-Desistam de ver a coro do dinheiro. A mãe de Glauber é canguinha, mão de vaca. Pode jogar agente no Tietê para virar comida de peixe.
-Júlia!
-Fiquem caladinhos, vamos entrar em contato. -se retiram e trancam a porta.
-Que fofo! Eles deixaram colchão pra nós -Júlia senta no colchão -sabe me simpatizei com eles. Eles têm bom gosto na decoração.
-Júlia fomos sequestrados. isso aqui é um cativeiro.
Júlia passa batom e começa a se maquiar.
-O que você está fazendo?
-Glauber você bateu a cabeça em algum lugar? Hã! Eu tô me maquiando. Eu quero estar linda nos jornais, que com certeza vamos aparecer nos jornais. E eu não posso aparecer como qualquer uma.
-Júlia você já se perguntou que pode estar amanhã nos jornais a nossa foto desovados em algum matagal?!
-Glauber como você pensa negativo. Sai pra lá negatividade. E se eu for morrer, vou morrer na base do blush e toda montada. será ue vamos aparecer na Ana Maria Braga? No Jô?
-No máximo vamos ter que nos contentar em aparecer na Sônia Abrão. Meu carro?
-E já deve tá em algum desmanche. Se bobear deve tá em via sedex em toda ABCD paulista.
-Ai Ai Ai _ Glauber com a mão no peito.
-Quem mandou ser mesquinho, não querendo que eu usa-se o carro. Aqui se faz, aqui s epaga. Eu tive até pesadelos com aqules videos que tive que ver quatro vezes... Cinco, pois estava achando que era programa do Datena. -ela lixando a unha.
-Onde deve estar minha ventoinha? -ele chorando.
-Deve tá em algum fusca. O carburado deve  tá  na parede de alguma borracharia de estrada.
-Ou pior numa comb. Ai que dor.
Os sequestradores abrem a porta, pegam Júlia pelo braço.
-Venha cá piranha.
-Ai, olhe os nomes rapaizinho.
-O quê?!
-Ai sabe que até gosto.
A levam pra outra sala e sentam na cadeira.
-Vai fale. -deram o celular
-Tá chamando, Cleide é meio surda. Alô Cleide... Ah você consertou a blusa, que maravilha... Passou a roupa? Lavou o banheiro? Pois estava uma nojeira o lavatório. Ah comprou os remédios da minha sogra, isso não precisava fazer querida... Hum fez macarronada pro almoço, o prato preferido de Glauber -Cleide é limpinha, depois dou o número dela pra vocês. Ela faz uma feijoada divina -ela fala com os bandidos -Hahaha, aí Claide você é uma figura! -Cleide é engraçadíssima , fizemos até um video dela e colocamos no youtube, tem mais de 14 mil visitas -fala com os sequetsradores -Aonde estou? Fui sequestrada querida, Glauber está comigo. Passa pra minha sogra, aquela mulher maravilhosa, espiritualizada... pra frente, aquela vaca! -Ela foi chamar minha sogra -fala com os bandidos -Oi minha sogrinha, ela desligou.
-O quê? -Sequela pega o celular -Desligou mesmo.
-Aquela ali é ruim, não presta, não tem amor a ninguém. sabia que ela prendia Glauber com 6 anos no quarto todo escuro e dizia que o Bicho Papão estava embaixo da cama. Até hoje ele acorda coitado dizendo: Vai me comer... Vai me comer. Eu acordo pensando que tem algo interessante na cama, aí vejo ele chorando. É de dar dó..
-Vou ali. Canhoto a leve de volta pro quarto.
-Por que ele te chama de Canhoto se você é destro?
-Porque se a pessoa for destra eu deixo canhota. Entendeu?
-Entendi, não precisa exemplificar.
-Quer jogar baralho, eu me sinto tão sozinho as vezes. É sempre Canhoto queime dois corpos ali na ribanceira, se livre livre desse corpo, vai fazer um serviço sujo ali.
-Claro. Sabe minha vida não é fácil -sentam a mesa e Júlia divide as cartas -Casei com Glauber, não me pergunte porquê. Porque bonito ele não é, nem por dentro, com 17 anos deixei de acreditar nessa tão beleza interior, me comendo já servia. Ele não é engraçado, não é rico. Puxou a mesquinez da mãe, você acredita que estou com as mesmas calcinhas há um ano? Ele comprou o carro e disse que não vai deixar eu usar. De ônibus eu posso ir, nesse calor desgraçado. Porque hoje você entra no ônibus e sai dele quase grávida, que é um roça-roça danado.
Canhoto começa a chorar.
-O que foi? -ela o abraça.
-Minha mãe não me aceita. Ela não entende que essas coisas você não escolhe, você nasce assim.
-Vou ver se tenho almofada, cheirar almofada é uma coisa que relaxa. Experimente, vem aquela vontade de soltar um palavrão, você mete a cara na almofada, você sai outra pessoa, um Bonzo.
-Eu descobrir  que eu era bandido aos 14 anos - ele tremendo leva a mão a boca -Desculpa, é que é difícil pra mim. Foi com um coleguinha, conversa vai conversa vem,era uma mão boba ali,  aí sumia um lápis,depois um celular, e foi evoluindo até que comecei a assaltar farmácias e caixas eletrônicos, carros etsacionados. Eu não pedi pra ser assim, é uma coisa que vem de dentro entende. O mundo não está preparado pra nós, pra quem é diferente.
-Oh não fique assim. Mãe aceita cedo ou tarde, mas aceita. Minha mãe mesmo aceitou o Glauber. isso que você está fumando é o quê?
-Você quer?
-Estou precisando. Não é todo dia que você é sequestrado. Tem uma cervejinha?
-Sequela não fez compras. Eu disse pra ele que tinha que fazer. É que é o nosso primeiro sequestro. Não leve a mal, agente vai se aperfeiçoando com os próximos. Eu vou ter que te levar de volta, você é legal, gostei de tu, antes d você ser resgatada me dá seu orkut.
-Claro, te dou tudo, meu msn, facebook, twitter.
-O que é twitter?
-Rapaz você tem que ter essas coisas. Agora é moda aparecer perfis sociaisi na televisão, é melhor do que foto de identidade vai por mim. -ela fuma -Isso é legal, você escuta umas vozes do Sílvio santos e da Hebe Camargo -ela dá risada -Que gracinha!
Ela entra no quarto, uma hora depois.
-Glauber eu tô vendo duende, eu não acreditava que existia.
-Você fumou o quê Júlia?
-Um bagulho legal ali.
-Os duendes encontraram Gasparzinho. Que loucura!
-Meu Deus sequestrado e com a minha esposa emaconhada. Vou precisar voltar pro meu analista -ele pega no bolso -Júlia meu celular está aqui.
-Wilson! Wilson não me deixe aqui na ilha. Eu quero ver a luz.
-Esquece.
Ele liga
-Alô.
-Você está ligando pra polícia, se for roubo digite 1, se for roubo seguido de morte digite 2, se for tentativa de roubo digite 3, se for roubo e ladão ainda estiver aí digite 4, se for seu marido que te bateu digite 5 para ser encaminhada para  a Central de atendimento da delegacia de mulher, se está sendo jurado de morte digite 6 e peça a Deus que te ajude, se você não sabe ou está indeciso digite 8, se for sequestro digite 8, se for outro serviço digite 9.
Ele digita 8. Músiquinha chata.... Cinco minutoso de musiquinha chata.... Dez minutos de musiquinha.
ALõ, eu tô num cativeiro, fui sequestrado... Eu nãos ei aonde estou, eu sei que peguei a Bandeirantes, pois pegamos um puta engarrafamento... É verdade aqui tem vários pontos de engarrafamento... Eu sei que a casa é perto de um matagal, acho que isso ajuda, a cidade tem mais engarrafamentos do que área verde... Duas horas!... Está bem... Está os dois elementos  lá fora e eu e minha esposa num cômodo que parece um quarto... Ela tá bem -Júlia não mija na parede -Obrigado -desliga.
Três horas depois arrombam a porta.
-Aí meu Deus tiro! -Glauber se joga no chão.
Silêncio, a polícia abrem a porta.
-Aí meu Deus obrigado. Cadê os bandidos?
-Não tinha ninguém aí na frente. -o policial.
-Meu carro!
Glauber sai correndo e não ver o carro.
-Puta merda!
-Pelo menos você ficou com a vida.
-Eu nem comecei a pagar e não estar no seguro.
-Puta merda.
-Senhor encontramos uma meliante pelada dançando Conga la Conga. -outro policial.
-Ela é minha esposa, é que eles a drogaram.
Chegam em casa.
-Nossa fiquei doidona -eles sentam no sofá -Glauber não fica assim, temos que nos desapegar as coisas materiais para evoluirmos.
-Eles levaram o carro com seu Armani
-Você não tirou o meu Armani do porta-mala. Puta merda!

domingo, 10 de abril de 2011

Mais valia

Vamos subornar o sistema
Me diz qual é o esquema?
Vamos levar Karl Marx além dos muros da universidade
Cansei dessa tal chamada unidade
Roupa não é pra se vestir
Tem que ter uma marca legal estampada no peito
Calçado não é pra calçar
Tem que ser o tênis da moda
Me diz a última novidade em celular feito
Quem não for a engrenagem correta no emprego roda
Tem uma fila enorme na marginal querendo o seu lugar
Então engole os sapos e o salário que não dá no final do mês
Aguente o colega encrenqueiro, o puxa-saco, o invejoso, o traíra
Não melhor seu otário junte-se a eles e vá se danar
Coloque TV a cabo e uma caranga legal de 1800 cilindradas
Parcele em 36 vezes aquela TV de plasma de 39 polegadas
Faça uma imagem legal na sua vizinhança, se torne um burguês
Tô me lixando se minha rua  não têm saneamento, iluminação, e a frente não é asfaltado
Minha casa não é rebocada, acabei de fazer um gato
Mas tenho uma frost-free dentro de casa que é demais
As meninas já me notaram e buzú lotado mané não pego mais
E tenho que tá em casa antes das 22 se não dou minha "cota de participação" na sociedade para ser assaltado
Meu em prego é ótimo, trabalho em casa
Meu patrão não gasta comigo luz, água, telefone, transporte, alimentação e vejo ele raramente
E o meu horário eu que faço, só tenho que bater no final do mês minha meta
Eu represento a empresa: Quebrou, eu conserto
Trabalho oito horas, mas recebo por duas, as outras seis são do meu chefe
Não sei mais o que são férias, o filho da puta do FHC privatizou tudo
E todo ano é empresa nova
As vezes acho que eu estou cavando a minha própria cova
Aposto que você ainda não enxergou as coisas de perto
Tem a TV para nos informar, as intenções não sabemos claramente
Não gosto de política, quero que os deputados se fodam!
Aumentou o transporte, a luz, o feijão, o gás, e o salário...
Prefiro gastar meu dinheiro com algo mais importante
Com aquela puta do sinal, tem um rabão!
Acho que vou fazer um filho na minha esposa, assim recebo ajuda do governo
Já usei todo cheque-especial, peguei um empréstimo e fiz um crediário na Insinuante
Depois do almoço uma coca-cola bem gelada cai bem pra ler a notícia
Menino morre com dez tiros no rosto nesse mundo cão
Contanto que não morra na minha porta tá tudo ótimo!
Me empurraram mais um cartão, agora vou poder comprar aquele terno
Pagar só Deus sabe quando
Você já se perguntou:
-Por que homem ganha mais que mulher?
-Por que tal empresa da Europa veio se instalar aqui no Brasil?
-Por que o Brasil vai sediar a Copa?
-Por que o trabalhador do sudeste ganha mais que o trabalhador do nordeste?
-Por que certos problemas não têm solução?
-Por que certos assuntos não são discutidos no Plenário?
-Por que seu celular não tem sinal em Cabriobó?
-Não se perguntou? Não sabe a resposta? Não se preocupa?
Não tem importância
Tem gente que tem muito interesse nisso e não quer que você descubra as respostas
Aposto que você nem se lembra em que deputado ou senador votou na eleições de 2002
Vamos continuar vivendo de festa em cima das misérias e desgraças dos outros
Das nossas faltas, da mais valia!
E continuar sendo um país de eleitores imperfeitos
No mundo de consumidores mais-que-perfeitos.

Preto, branco, amarelo, lilás

Já tentei namorar mulheres
Digo até que já beijei algumas
Gosto do processo da conquista
Da troca de olhares
Não passa disso, nada mais
Isso acontece porque gosto de cu de homem
Preto, branco, amarelo, lilás
Os orientais são demais
Os negros me satisfaz
Os sem pêlos me deixa louco
Os de pêlo clarinho gosto até um pouco
Me desculpem as mulheres
Não é questão de gosto ou estado de espírito
É questão de satisfação,de amor
Quem sabe amanhã eu aprenda a gostar, ou até mude
Ou melhor ainda aprenda a dar
Desculpe eu não disse que era um amor de pessoa
Mas por enquanto não me incomode
Vai curtir o seu pagode
E me deixe com o meu cu preto, branco, amarelo, lilás

Caixa-postal.




Eu quero um amor que seja de verdade
Eu quero um amor com gosto de liberdade
Eu quero um amor que me dê carinho
E que assim possamos ficar juntinho
Eu quero um amor irresponsável
E que tenha um Q de loucura
Que seja para a minha solidão a cura
Não importa que pareça ridículo
Mas que me torne importante para alguém
Eu não quero amor desses de novela
Pois quero finais felizes todos os dias junto dela
Eu quero um amor sincero
E me faça dizer te quero
Eu quero um amor companheiro
Eu quero um amor sem-vergonha entre quatro paredes
E que me faça esquecer certos olhos verdes
Eu quero um amor consciente, dialogado e que discorde.
Eu quero um amor com jeito de poesia de Drummond 
E que me faça ouvir Roberto Carlos quando acorde
Eu não quero um amor tão adulto
Não importa se sujar, mas que tenha brilho no olhar.
Que me aceite como sou
Pois isso é amar
Onde está você amor?
Quem é você amor?
Quantos caminhos e bocas viverei até que te encontre?
Como vai ser?
Vai ser como nas novelas de Gilberto Braga?
Ou como nos contos de Stanislaw Ponte Preta?
Ou ainda como nas músicas de Renato?
Eu só peça que não tenha te encontrado ainda e não percebido aqueles sinais
Eu só peço que espere em alguma rua, avenida...

Central blogs

div align="center">Central Blogs

Colméia

Colmeia: O melhor dos blogs

Ueba

Uêba - Os Melhores Links