Pesquisar este blog

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Recomendo: A cabana.

O livro A Cabana, que foi publicado nos Estados Unidos por uma editora pequena, revelou-se um desses livros que, por meio da indicação dos leitores, se torna um sucesso de público: já são quase dois milhões de exemplares vendidos.
A história gira em torno de Mackenze Allen Phillips, um pai de família totalmente apaixonado por sua esposa, que tem a responsabilidade de educar cinco filhos sem poder falhar, isso porque, em sua infância, Mackenzie passou pelo trauma de ser espancado por seu pai, um homem totalmente entregue ao vício da bebida, e não queria, de maneira alguma, passar a mesma imagem aos seus filhos.
Contudo, em uma viagem bucólica, algo inesperado mudou totalmente o sentido da vida deste homem. Sua filha mais nova, Missy, foi seqüestrada e assassinada por um maníaco de garotas. Em uma incessante procura, com a ajuda da polícia, por algum vestígio de sua pequena , Mack encontrou o vestido que sua filha usava no dia do sequestro, em uma cabana abandona.
Após quatro anos vivendo muito triste, causada pela culpa e pela saudade da menina, Mack recebe um bilhete estranho, que teria sido escrito por Deus, convidando-o para voltar à cabana onde aconteceu a tragédia.
No começo, Mack imaginava que isso seria apenas uma brincadeira de mau gosto, todavia não conseguia parar de pensar no bilhete, então decidiu ir até à cabana onde sua filha havia sido brutalmente assassinada.
Apesar de desconfiado, ele vai ao local do crime em uma tarde de inverno e adentra passo a passo no cenário de seu mais terrível pesadelo. Mas o que ele encontra lá muda o seu destino para sempre.
O livro A Cabana levanta um questionamento: se Deus é tão poderoso, por que não faz nada para amenizar o nosso sofrimento?
O que achei interessante nesse livro é a história de alguém que se afastou de Deus e termina passando por algo totalmente mágico, ele reencontra Deus após relembrar toda dor da morte da filha. O livro traz os ensinamentos de Deus para o personagem principal e do amor incondicional, ou seja, dedicação total sem esperar nada em troca.
E por que não podemos nos questionar sobre a existência ou não do poder de Deus, se ele existe. È uma obra fascinante, se você quer ler um livro esse ano, leia A cabana.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Memória em surto.

Este é o último Memória em surto, obrigado a todos que comentaram e aguentaram as minhas histórias cheias de esquisitices. tudo que foi escrito apesar de não parecer é a pura verdade, por isso o nome Memória em surto.
Este Memória em surto diferente dos outros não vai ter intuito de fazê-lo rir caro leitor, pois vou contar uma história que aconteceu comigo e mexeu em minha vida.
Minha mãe criou eu mais dois irmãos sozinha, sem ajuda de um pai. foi pai e mãe ao mesmo tempo. ela como toda mãe não quis que os seus filhos cometessem os mesmos erros que ela cometeu, por isso utilizou-se da super-proteção, chegando até a impedir que os filhos vivessem. Eu tive uma adolescência que não conhecia nada, eu tinha medo das ruas, só saía com meus irmãos, introspectivo. Até hoje tenho mais coragem de escrever coisas mais do que falar.
Minha mãe vivia para o trabalho, não saía na rua, não chorava, não desabafava o peso que criar três filhos sozinha. Um certo dia ela acordou certo como era de costume para lavar roupa e passa mal. A levamos para a cozinha, ela não ouvia, os olhos dela queriam fechar, não conseguia ficar em pé, nem conseguia ficar sentada numa cadeira.
Aquele dia foi o dia mais desesperador da minha vida, não saber o que fazer, ver sua mãe morrendo na sua frente. Chamamos vizinhos e os vizinhos chamaram a SAMU ( Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e essa levou a minha mãe ao hospital Roberto santos. Lá não tinha maca para ela, ela utilizou a maca da própria SAMU, ficou no corredor por não ter vaga e foi constado dois AVCs. E ela por causa disso ficou com a boca torta e não movimentava e nem sentia o lado esquerdo. Graças a mesma SAMU, eles conseguiram transferi-la para um hospital nas Cajazeiras, o Jaar Andrade.
Lá ela começou a fazer a fisioterapia e lá eu fiz a minha primeira visita a ela ( eu não tinha a visitado no Roberto Santos). Ela se encontrava na UTI e eu desabei a chorar ao vê-la entubada, minha gordinha tão magra, não parecia em nada aquela mulher tão forte. Fui consolado por uma enfermeira e depois pela minha irmã, que me abraçou também chorando.
depois ela saiu da UTI e a visitei, ela estava acordada e me viu e nem perguntou como eu estava, apenas disse que estava com fome e queria comer.
Passou-se mais um tempo e um dia ao entrar em casa, encontro minha mãe dormindo. Ela pediu para ir ao banheiro, mas não conseguir levantá-la, ela pesava muito e não se mantinha em pé. Foi horrível, você não poder ajudar a sua própria mãe, me sentir o homem mais inútil do mundo. Tive que pedir a ajuda de vizinhos, para sair com ela precisava de três para ajudar.
Depois o meu tio conseguiu colocá-la no Hospital Sarah. Em uma semana ela começou a caminhar com o andador, passando depois para a bengala. Lá ela descobriu que poderia fazer coisas sozinha. Lá conheci outras pessoas e pode notar que havia problemas maiores que o meu.
Agradeço muito a todas as enfermeiras, copeiros, ao pessoal da cozinha ( nessa época comi tão bem, a comida não parecia em nada com a de hospital) e principalmente a Elisa, que foi a fisioterapeuta da minha mãe e todos os outros fisioterapeutas. Ela ficou mais de um mês lá e voltou pra casa com algumas coisas que ganhou. E eu ganhei uma experiência incrível, que não existe só o meu tempo, mas também o do outro ( sei que ainda perco a paciência com o tempo que a minha mãe demora para fazer as coisas) Lá minha mãe deixou de usar fralda, que era um gasto tremendo.
O Sarah gosta de ouvir os pacientes e seus acompanhantes e em troca busca comprometimento e colaboração tanto do paciente quanto do acompanhante. Agradeço a todos os amigos que ajudaram comprando fralda e ajudando de alguma maneira. É nesses momentos que descobrimos os amigos.
Apesar de todo o sofrimento, eu rir lá, me emocionei com a história dos outros pacientes e vibrei por cada superação de cada paciente. Não vou me esquecer da biblioteca de lá, da varanda que tinha uma paisagem linda. Não vou me esquecer das crianças na cadeira de rodas que mesmo com os problemas não deixavam de ser crianças. Não vou me esquecer dos rostos deste cenário que fizeram parte da minha história, do que sou hoje.
Não posso deixar de mencionar, Jairo, o fisioterapeuta atual e se depender de mim e da minha mãe o para sempre amigo e quem sabe vizinho, rsrs.
Hoje minha mãe ainda anda com o auxílio de uma bengala, meus irmãos casaram, sobrando em casa eu e minha mãe. Tive que me acostumar ( e ainda estou no processo de aprendizagem). Minha mãe é uma manteiga derretida, não é mais aquela durona, esquece algumas coisas, as vezes não se aguenta chegar ao banheiro para fazer xixi.
Guardo mágoas dos meus irmãos, pois eles não sentaram para conversar comigo e me largaram com a minha mãe. Eles se achavam cheios de problemas, mas não perguntaram o que eu carregava nas costas.
Guardo mágoas de coisas que eu ouvir da minha mãe que sei que não merecia ouvir, mas sei que foram da boca pra fora, só para me machucar.
Nunca vou abandonar minha mãe, isso prometi a mim mesmo. tenho muita vontade de sentar com ela e conversar, nãos ei se ela vai aceitar o estilo de vida que escolhi pra mim, que me faz feliz. Só tenho a certeza de uma coisa ela vai comigo para onde eu for até o fim dos meus dias ou dos dela.
Antes tinha medo da minha mãe, não a questionava, preferia me abrir com um amigo ou até mesmo com um estranho do que com ela. Isso tenho certeza que foi pela educação que eu recebi. Hoje esse medo deu lugar a coragem, a conhecer minha mãe mais. Não adiantou tanta proteção.
Sei também que tenho parcela de culpa em tudo isso, pois um dia tentei suicídio, tomando remédio para abaixar pressão, vários comprimidos. Minha mãe escondeu o remédio e passou a não tomá-lo.
Sei também que nada acontece por acaso, minha mãe tinha que passar por isso, para mostrar a ela que ela não pode escolher pelos seus filhos, que ela não tem domínio sobre todas as coisas, que ela não é a dona da verdade, que ela tem que se divertir mais, que existe problemas maiores do que o dela.
Eu sei que talvez ela não aprenda tudo isso nessa vida, pela própria teimosia dela, eu sei disso, pois sou muito parecido com ela em certas coisas.
Por fim, desculpe pelo texto grande e até confuso, pois fui escrevendo mais com emoção do que com preocupação. É muito difícil me lembrar de tudo que passei com a minha mãe e ainda passo, tive a minha vida mudada completamente, tomei responsabilidades da qual não fui preparado, não teve um aviso prévio pra mim.
Desculpe por estar contando isso, quando criei o blog, o meu objetivo não era esse. Mas achei que deveria escrever isso, sei lá vá que tenha alguém passando por isso também, aí posso ajudar com a minha experiência. Por fim nunca espere acontecer uma coisa dessa para dizer que ama sua mãe. Eu no hospital com medo de perdê-la eu disse que a amava e graças a Deus ela está comigo e todos os dias eu digo: " Eu sou louco por essa gostosa" " Eu te amo minha gordinha".

De olhos fechados.


Patrícia se encantou com o futuro que poderia ter, o homem maravilhoso que ela achava que ele era. mas ela sabia que se apaixonou pela pessoa errada, Já que ela se achava inferior a ele, por ele ter tudo e ela para conseguir o que ela queria ter, ela tinha que batalhar muito para conseguir. Por isso que ela está chorando.


Capítulo 8.


Guilherme chega na república, a república parece estar "abandonada", ele colocou a chave em cima da mesa, tira a camisa e vai para o quarto.
-Patrícia o que você está fazendo aqui? -ele olha a caixa onde ele guarda as coisas dele.
-Por que você mentiu dizendo que já tinha pago as suas mensalidades, sendo que na verdade você ganhou uma bolsa gratuita? -ela chorando.
-E quem deu o direito de você mexer nas minhas coisas?
-Tudo é uma mentira! A sua vida é uma mentira. Os seus pais não se chamam Lúcia Cisneiros Guia e Paulo Guia Passos e sim Elvira Silva Santos José Silveira Santos.
-Não, eu posso explicar.
-Os cursos, o dinheiro, o carro. Você é uma farsa.
-Patrícia você tem que me escutar.
-Para que? Para você mentir de novo?
-Você não vai! -a jogou na cama.
-Eu me apaixonei por uma mentira, não por você. -ele levanta a mão para batê-la.
-Faça se você é homem! -ele abaixa a mão e ela se retira.
Guilherme temia que Patrícia um dia descobrisse que o Guilherme que ele dizia não existia, que a vida que ele falava era um sonho. Mas ele sabia no fundo que essa situação não se perduraria por muito tempo.
Patrícia se encantou com o futuro que poderia ter, o homem maravilhoso que ela achava que ele era. Mas ela sabia que se apaixonou pela pessoa errada, Já que ela se achava inferior a ele, por ele ter tudo e ela para conseguir o que ela queria ter, ela tinha que batalhar muito para conseguir. Por isso que ela está chorando.
-Eu vim para lhe pedir que não conte isso aos outros. -ela arrumando as malas e enxugando as lágrimas.
-Até quando você acha que vai conseguir sustentar essa farsa?
-Até quando eu puder. Me perdoe se lhe machuquei.
-Você me humilhou com a sua mentira, não me peça o que não posso.
-Você não entende, eu nasci numa merda de vida, num interiôrzinho onde não tinha porra nenhuma de chance de crescer.
-Você conseguiu uma bolsa gratuita.
-Migalhas! Migalhas...
-Eu também sou pobre e não tenho vergonha, estou conseguindo concluir a minha faculdade com o meu suor, mas nem por causa disso vou inventar uma vida que não existe.
Ela saiu do quarto e Guilherme fica no quarto, entram Alice, Pedro e Felipe.
-Trouxemos uns hot dogs... -Felipe.
-Por que essas malas? -Pergunta Alice.
-Foi muito bom conviver com vocês, foi lindo esses últimos anos.
-Por que vai embora? -Alice pergunta de novo.
-Acabou, não dá mais. -ela abraça todos.
-O namoro acabou? -ela foi embora sem responder a pergunta de Pedro.
Guilherme permaneceu no quarto o restante do dia, no outro dia como ele não se pronunciou todos se calaram.
Já se passaram seis meses depois do acontecido.
-Por que essa balança? pergunta Pedro a Felipe.
-Pra nada. -ele se retira.
-Chegaram as pizzas! -fala Guilherme.
-Será que ela vai gostar? -Pergunta Felipe e entra Alice.
-Alice! Alice! Alice! -todos aplaudindo.
-Obrigada, ai vou chorar. Pizza! Vocês são maravilhosos.
-Discurso! Discurso! Discurso! -Grita Pedro.
Adorei ficar aqui com vocês e os outros que já foram... Não consigo mais. -ela com lágrima nos olhos.
Depois deles comerem as pizzas.
Já conseguiu trabalho? -Pergunta Pedro.
-Não, quando digo que sou soropositivo dizem que não dá, inventam uma desculpa. Já estou acostumada, Já recebi muitos não. E vocês já fizeram a prova da OAB?
-Eu não fiz. -Fala Guilherme.
-Eu passei. - comemora Pedro.
-Eu não passei. -Felipe.
-Que pena.
Pedro passa na prova da OAB e já pertence a ordem, já tinha passado 4 anos e meio. Estamos em 2003, faltavam apenas seis meses para eles receberem o diploma, mas esses seis meses passaram rápido.
-Aqui a placa da nossa república 7 de setembro. -Lê Felipe.
-Passou tão rápido. -Fala Guilherme.
-Passamos grandes momentos aqui. -Fala Pedro.
-Vou sentir saudade daqui. -Felipe.
-Vou sentir mais saudade das pessoas com quem convive. -Fala Pedro.
-Espera para nós um futuro que está próximo. -Felipe.
A festa de formatura foi num prédio alugado pela UQUE, estava formando com eles mais 22 advogados, fora alguns médicos, psicólogos, dentistas, administradores e etc. A festa tinha muitas iguarias e pessoas belíssimas.
-Esses são meus colegas pais. -Felipe apresentando Pedro e Guilherme aos pais.
-Prazer. - Falam Bernardo Boutinho Moraes e Margarida Boutinho Couto simultaneamente.
-Você vai trabalhar comigo filho?
-Claro que sim.
-As mães dançam com os filhos e os pais com as filhas na valsa. - o mestre de cerimônia fala.
-Filho. -uma senhora de cabelos castanhos, baixa e de voz suave.
-Mãe o que você está fazendo aqui? -Pergunta surpreso Guilherme.
-Não quer dançar com a sua mãe?
-Vem comigo! -eles vão no corredor. -Por favor se retire.
-Você sente vergonha de mim?
-Sim, sinto.
-Eu fiz o impossível para vim pra cá, para ver o meu filho se formar.
-Eu não pedi nada pra você. Com licença. -se retira.
A mãe de Guilherme começa a chorar.
-Você está bem? -uma estudante pergunta.
-Sim. -ela responde chorando.
Guilherme se esbarra com Pedro.
-Desculpa. -Pede Guilherme.
-Quem era aquela senhora que estava com quem você estava?
-Ninguém, ninguém. -ele se afasta de Pedro.
Guilherme recebe o diploma, após ele sobe Pedro.
-Eu prometo seguir na carreira com honestidade e nos princípios da ética, fazer o bem ao maior número de pessoas...
Depois do juramento de Pedro sobe Felipe.

domingo, 24 de janeiro de 2010

Curtas urbanas.

Quem mora em apartamento sabe que tem condôminos que se interessam e muito pela vida dos vizinhos. E o casal Júlia e Glauber não fogem dessa regra.


O apartamento 102.


Júlia acaba de escovar os dentes e deita na cama ao lado do marido Glauber.
-Não começaram ainda?
-Ainda não. O que será que houve? Será que brigaram?
-Acho que não. Tadeu é o tipo de homem em extinção, abre a porta do carro para a esposa e espera ela sentar a mesa para ele se sentar.
-Será que ele trai ela? Aposto que para ele ser tão cavalheiro assim ele tem uma amante.
-Ele olha diferente para a vizinha do 112. Mas pelo menos ele transa com a esposa todos os dias. Já nós é um feijão com arroz duas vezes na semana.
-Como assim feijão com arroz?
-O básico... O popular.
-Eles começam a ouvir os gemidos do casal do apartamento acima.
-Começaram.
Ficam em pé na cama.
-Me levanta.
Glauber a levanta e ela coloca o copo no teto para ouvir melhor.
-Será que estão fazendo o papai-mamãe convencional ou uma sacanagem mais picante?
-Eles tem cara de convencionais. Ai você está pesando. - a desce.
-Glauber está me chamando de gorda?
-Não. Pára de ser neurótica.
-Ah! Fora de eu ser gorda, eu sou neurótica.
-Espera, pararam.
-Doze minutos só.
-Parece que o Tadeu não está nos seus dias melhores.
-Ouve. Eles estão transando em outro cômodo.
-Na sala?
-Não, me acompanhe. Os ruídos vem da cozinha. -Glauber a segue -Em cima da nossa cozinha é o quê?
-Sei lá merda. Os apartamentos aqui não são padronizados?
-Você também não presta atenção em nada Glauber.
-Então pergunte a Tadeu, aposto que ele aceitaria que um vibrador em formato de pênis de boi no cú dele.
-Com certeza ele não é machista como você Glauber.
-Ele perde tempo em procurar o ponto G na esposa. Será que ele não enjoa em comer todo dia a mesma coisa.
-Existe uma coisa chamada amor sabia.
-Pelo menos ela deve saber cozinhar. Um bom prato de comida atiça o apetite sexual de qualquer um.
-Você está falando que a minha comida é brochante Glauber?
-Gente descobrir uma qualidade em você Mô, você não é burra.
-Mô? Esse Mô é de amor ou é para me lembrar que estou do tamanho de uma vaca?
-Depois não gosta quando te chamo de neurótica. Quer refri?
-Não, refri engorda.
-É dight.
-É só isso que você tem a me oferecer Glauber? Até a vida sexual do nosso cachorro é mais interessante.
-Ele trepa com o braço do nosso sofá. -ele começa a dar risada -Deve ser mais interessante mesmo, pelo menos não discutem a relação. -ele bebe o refrigerante e senta ao lado dela.
-Será que Tadeu me acha gorda também?
-Por quê?
-Amanhã vou tentar dá pra ele no elevador do condomínio.
-E nem tente! Dei em cima da Lúcia na sauna e ela nem fudeu comigo.
-Claro você é um troglodita, aposto que você disse: Você já viu uma mangueira em pé? Pois a minha está em pé agorinha mesmo por você.
-Não subestime o meu poder de sedução. Você casou comigo por quê?
-Por falta de opção melhor, já que não encontrei um Fábio Assunção da vida. Aí eu disse vai essa desgraça mesmo.
-Você estava encalhada quando eu te conheci, sua mãe te ofereceu pra mim pra se livrar de você. O que será que eles fazem para manter o casamento?
-Transam.
-Acho que terminaram. Boa noite amor.
-Glauber.
-O quê?
-Eles saem para o trabalho as 7:00. Acordamos cedo e pegamos eles no estacionamento. Eu tenho que descobrir o segredo deles, não existe um casal tão perfeito assim.
-Só as âncoras do JN. Sabe o que é isso? Inveja.
-Não querido, incompetência.
No dia seguinte no estacionamento.
-Oi Lúcia e Tadeu. -se beijam no rosto.
-Indo pro trabalho? - Lúcia pergunta a Júlia.
-Júlia trabalhando, ela não trabalha. -fala Glauber dando risada.
-Estão devendo um jantar agente. -Fala Tadeu.
-Estão abatidos vocês. - Lúcia.
-Não dormimos, foi movimentado ontem né? - Glauber.
-Vamos direto ao assunto. Qual o segredo de vocês?
-Como assim? -sorrir Lúcia.
-O que vocês fazem para manter o casamento? Vocês parecem um casal tão feliz.
-Jantem com a gente que vocês vão saber o nosso segredo. -Tadeu.
A noite.
-Será que devemos levar um vinho? -Pergunta Júlia.
-Você não entende de vinhos.
-Você não entende como agradar uma mulher.
Chegam ao apartamento de Tadeu e Lúcia.
-Boa noite. - Lúcia.
-Sejam bem vindos. -Tadeu.
-Sim. Qual é o segredo?
-Somos praticantes de swing. -Fala Lúcia.
-Querem experimentar? -Pergunta Tadeu.
-Primeiro os casais, depois a troca de casais, depois os homens verem as mulheres trocando carícias e depois nós os homens.
Lúcia e Tadeu começam a tirar a roupa.
-Já? Tão rápido? Sem nos conhecer, criar um diálogo. -Glauber.
-É que somos tímidos. -Fala Júlia.
-Garanto que vão perder a timidez logo logo. -Lúcia beija o marido.
-Nossa nunca vi isso. -Tadeu.
-Porra bora logo. -Júlia o beija.
Depois de duas horas Glauber e Júlia chegam em casa, ela toda dolorida.
-Ai. -Júlia senta no sofá -Não sabia que Lúcia era violenta.
-Ela é faixa preta em Jiu-Jitsu.
-Por que você correu?
-Eu pensei que era brincadeira. Ele iria enfiar aquele dedo no meu cú. Só o polegar dele tem 6 cm.
-E eu pensando que nós éramos modernos.
-Pelo menos temos uma vida sexual normal.
-Uma pergunta: Como sua mãe tão chata como ela consegue manter o casamento?
-Sei lá as pessoas se acostumam.
-Será que eles transam?
-Eu não vou perguntar como anda a vida sexual dos meus pais.
-Eu imagino nós chegando aos 70, se já aos 30 temos dificuldade em transar, quando chegarmos aos 70 vamos rir ao vermos nús um ao outro. - rir. -Vamos fazer uma visitinha aos seus pais.
-Não, de novo não. - se retira.
-Glauber volta aqui.

Por que você me ofereceu um jardim de rosas com espinhos? - Segunda parte (final).

Vizinhos levam Cláudio até o apartamento dele, ele senta no sofá abatido.
-Obrigado- Rodrigo fecha a porta e vira-se para Cláudio -Eu avisei.
-Não me venha com lição de moral agora. Ela nunca mais vai querer olhar pra minha cara.
-E com toda a razão Cláudio.
-Você não entende. Eu amo a Renata. Eu vou morrer sem ela. -chorando.
-Eu não duvido que você ame a Renata. Eu só sei que esse amor não faz bem nem a você e nem a ela.
Renata chega em casa e encontra a mãe a sua espera.
-Eu avisei, não quis me ouvir. Quem erra uma vez erra sempre. Você não foi a primeira e nem vai ser a última a ter se apaixonado por um homem mais velho. Amanhã não duvido nada ele encher essa casa de buquês de rosas, eram assim os pedidos de desculpa dele, depois que ele bebia, depois das brigas por ciúme, depois de ter gastado todo o dinheiro com jogos de azar. Ah Renata se você tivesse me ouvido naquele tempo. Dizia-se apaixonada, engravidou, agora a sua vida estará para sempre presa a ele por causa de um filho. Ele não serve pra você! Se tivesse feito o aborto, não estaria até hoje ligada a ele., a sua vida teria sido diferente.
Entra Lucas, Renata tapa os ouvidos do filho.
-Me espera no carro, mamãe já vai. -Lucas se retira -Como você tem a coragem de me lembrar dessa proposta absurda que fez? A única coisa que não me arrependo do meu casamento, é do meu filho, do seu neto não se esqueça disso.
-Não me venha com essa conversa agora. Quantas fazem isso pelo país? Ou até pior abandonam quando as crianças nascem. Se você tivesse entrado naquela clínica comigo você teria tido uma carreira brilhante como jornalista e não enterrada naquela escolinha. Mas não. Eu amo ele mamãe. Ta aí o amor. Um filho não é motivo para se haver casamento hoje em dia.
-A senhora tem grande parcela de culpa nisso, sempre torceu contra o meu casamento.
-A culpa de vocês não terem dado certo agora é minha! -rir-Eu torcia mesmo contra, ele era mais velho que você, você merecia coisa melhor. A mulher pensa que todo homem é único, mas não é.
-É sobre o teu neto que estamos falando.
-Poderia ser qualquer coisa, eu aceitaria como meu neto, mas não vindo dele.
-Eu não durmo com o meu filho sob o mesmo teto que a senhora. Vou pra casa de uma amiga, hotel, ou até mesmo debaixo da ponte. Eu e o meu filho não precisamos de você. -se retira.
Cláudio chega na casa da mãe, ela estava jogando baralho com outras senhoras. As outras senhoras se retiram ao vê-lo.
-Você já sabe?
-As vezes os filhos nos decepcionam tanto.
Ele abaixa a cabeça.
-Onde foi parar tudo que eu te ensinei? Por que fez isso comigo? Onde foi que eu errei? Me diga meu filho. Por que tamanha maldade com a sua mãe? Não me diga que eu criei um monstro sem coração. -ela se aproxima do filho- Que tipo de ser humano saiu de mim?
Desculpa.
-A coisa mais fácil do mundo é pedir desculpas e dizer eu te amo. Mas as pessoas não tem idéia o quanto é difícil perdoar alguém sinceramente que nos machucou muito e o quanto significa para alguém ouvir eu te amo. Pedi desculpas todo mundo pede, mas desculpar mesmo, poucos. Há uma distância muito grande entre as duas coisas. Sempre esperamos mais dos filhos. Pensamos que eles são super-heróis e nós deuses que geramos seres perfeitos. Tolice nossa, porque não somos perfeitos, então porquê esperar isso de nossos filhos? Tive tanto medo de perder você meu filho, como perdi o seu pai. -o abraça chorando.
-Você me perdoa?
-Eu estou aqui meu filho.
-Eu perdi ela pra sempre mãe.
No dia seguinte ele vai a escola do filho.
-Pai. -Renata segura o menino pelo braço -Entre no carro Lucas. Entre no carro Lucas, estou mandando.
O menino entra.
-Você não pode me proibir de ver o meu filho. Eu sou o pai dele. Eu tenho direito.
-Que porra de direito? Você não pensou nesse direito quando viu ele chorando pensando que o pai morreria. Como você tem a coragem de aparecer aqui depois de tudo?
-Você tem que me escutar, eu não fiz por mal.
-Eu quero que você morra Cláudio, morra! Nunca mais incomode a mim e a meu filho.
-Eu tive medo de te perder, por isso que fingir a doença.
-Não se tem mais nada para se dizer Cláudio. Enquanto ao direito de ver o seu filho, vamos ver isso na frente do juiz.
-Espera, me escuta.- ele chorando.
Ela vira-se.
-Eu não voltei pra você por pena, mas por amor. Eu cheguei a cogitar ontem comigo mesma que você é digno de pena, pois não aprendeu a amar de uma forma saudável. Você não tem coração. É muito fácil dizer eu te amo, mas demonstrar realmente o quanto se ama alguém você não soube demonstrar. Não piore as coisas. Eu não queria perder o único homem que amei durante toda a minha vida.
-Eu sei que errei, mas tente me compreender, foi a única forma que eu encontrei para não perdê-la, eu te amo.
-Amor?- ela chorando Você tem certeza que me ofereceu amor Cláudio? Você só pode ser doente Cláudio, não é normal a maneira que você se comportou. Quantas vezes te perguntei se não tinha nada para me falar. Você me via chorando e mesmo assim continuava com o seu plano. Todo o amor que eu sentia por você deu lugar a indiferença.
Ela entra no carro, e coloca a cabeça para fora.
-Fique apenas com a minha indiferença Cláudio. -se retira.
Uma semana depois ele dirigindo o carro pensando na vida, nos seus erros. " O que eu entendo é que não existe amor em que só há uma pessoa que ama" " Você está me escondendo alguma coisa?", " Você é louco", " Prometem que nunca vão se separar", " E quando o pai dele morrer? Por que esse dia vai chegar. Eu só estava preparando ele. Vocês tem que preparar esse menino pra a realidade! Foi assim com a separação e está sendo assim com a sua doença" " Por pena. Será que vale realmente a pena tudo isso?", " Não me pegue. Você mentiu pra mim, pra sua mãe... Pro seu filho. Você é um monstro"," Eu não duvido que você ame a Renata. Eu só sei que esse amor não faz bem nem a você e nem a ela.", "Onde foi parar tudo que eu te ensinei? Por que fez isso comigo? Onde foi que eu errei? Me diga meu filho. Por que tamanha maldade com a sua mãe? Não me diga que eu criei um monstro sem coração.","Eu quero que você morra Cláudio, morra! Nunca mais incomode a mim e a meu filho ".
Ele fecha os olhos depois de lembrar de todas essas imagens, desce uma lágrima. Abre os olhos, há um caminhão na frente. Ele não consegue frear o carro e bate com o mesmo na carroceria do outro veículo.
No hospital chega Renata com o filho e encontra a mãe de Cláudio.
-Cadê meu pai?
-Lucas sente ali, mamãe já vai falar com você. - ele obedece -Como ele está?
-Está em coma induzido, mas não corre risco de vida.
-Eu disse a ele que eu queria que ele morresse.
Alguns dias depois, Renata dando aula, Cláudio aparece na porta.
-Com licença, terminem a lição.
Ela sai da sala, ele está com a cabeça enfaixada, com algumas escoriações no rosto, e andando com auxílio de uma bengala de madeira.
-Desculpa por incomodar. Podemos conversar?
-Sim.
Andam pelo corredor.
-Como é que está?
-Bem, indo. Ainda não me acostumei com a bengala. -sorrir.
Ele de frente pra ela e entrega um papel a ela.
-Aí o pedido de divórcio que eu rasguei. Eu passei no escritório do seu advogado e pedi para que ele fizesse outro. Você está livre de mim.
Ela fica sem palavras.
-Nunca duvide do meu amor, eu te amo da minha forma errada de amar, mas eu te amo. Você pode querer que eu esqueça você, mas eu sei que eu nunca vou deixar de amar você.
-Você vai pra onde?
-Por enquanto falar com o meu filho. Semana que vem viajo para Curitiba, pedi no trabalho para ser transferido para lá. Não quero ver você reconstruir a sua vida com outro homem que não seja eu.
-Eu pedi tanto que você assinasse esse papel, um ano que estamos separados, que eu tinha até perdido a esperança que você assinasse, agora com isso na minha mão parece que não tem mais sentindo.
-Desculpa. Eu não aprendi a amar sem sofrer e sem fazer as pessoas que amo sofrerem. Agora vem a parte mais difícil, me despedir do meu filho.
Ele se retira, ela faz intenção de dizer algo, , mas as palavras não vem e ela se abraça.
Na sala de professores.
-Ele vai embora para Curitiba
-E você vai deixar ele ir? - A amiga.
-Já o perdoei tantas vezes.
-E pra quem ama existe números de perdões?
-O Lucas, a professora dele me falou que ele entrou na sala chorando desconsolado. Ele assinou o divórcio, você espera muito por uma coisa e quando consegue, perde-se todo o sentindo. É assim que estou me sentindo ao olhar esse documento, pois mesmo ele dizendo que estou livre, ainda me sinto presa a Cláudio.
Elas saem da escola juntas e encontram um casal.
-Renata.
-Dona Cármem. -se beijam no rosto -Fabiana, minha amiga.
-Quanto tempo! Você não mudou nada. O Lucas já deve estar enorme.
-É, e dando muito trabalho.
-E o Cláudio?
Renata se mantêm calada.
-Eu falei algo errado?
-Não, é que me divorciei de Cláudio.
-Desculpa.
-Que nada.
-Uma pena vocês formavam um casal tão bonito.
Renata chega em casa e ajeita a roupa, cai um retrato no chão. Ela pega, era ela, Cláudio e o filho. Ela se emociona.
Ao cair a tarde ela vai a praia e ver Cláudio sentado numa pedra olhando o ir vir da onda e o pôr-do-sol.
-Cláudio.
Ele levanta-se, desce da pedra, ela se aproxima.
-Eu sabia que você estaria aqui.
-Foi aqui o nosso primeiro beijo.
-Não vá, fica. Mesmo com toda a raiva que fiquei de você ao saber que tudo era mentira ao olhar os resultados daquele exame, fiquei feliz, pois soube que você não nos deixaria tão cedo... Tantas vezes me olhei em frente do espelho dizendo que não te amava, para tentar me convencer disso. Acho que gosto de sofrer, porque quanto mais você me magoa mais me vejo presa a você. Quantas vezes eu quis dizer que te amava, mas você não deixava. Todas as surpresas eram suas, todos os beijos roubados eram seus, todas as declarações e surpresas eram suas, até os pedidos de desculpas. Você me sufocava com o seu amor. E mesmo assim eu continuava amando você. Eu sei que lá na frente você vai me magoar de novo. Mas fazer o quê, se não consigo viver sem você. Será que devo cobrar de você que você não me magoe? A vida não é só feita de rosas, elas também oferecem espinhos. Por que eu não devo esperar que você me ofereça espinhos?
Cláudio vai abrir a boca, ela tapa a boca dele com a mão.
-Espera, deixa eu concluir. Deixa eu dizer ao menos uma vez eu te amo. Eu te amo Cláudio.
-Eu também te amo.
-Eu sei, eu sei, pode ter a certeza que eu sei.
Ele a beija, um beijo como se fosse o primeiro e o último ao mesmo tempo. O beijo da saudade, o beijo do reencontro de quem se ama e se desencontrou em algum momento da vida. E juntos saem abraçados da praia.

Últimos versos.


Te escrevo esses versos
Pode ter a certeza que esses serão os últimos
Na praia nos conhecemos
E sem mais nem menos começamos a pensar que
conhecíamos o outro mais do que a nós mesmos
Do encantamento passou-se a paixão
E da paixão para o desprezo sem sentirmos
Esses versos podem agora parecer perversos
Mas refletem o que agora estou sentindo
Poderia dizer que escrevê-los está me doendo, mas estaria mentindo
Você me cobrava juras de amor que eu não dizia
Os beijos meus que não eram dirigidos a você
A minha presença, mesmo fisicamente ao seu lado
O meu espaço, o meu tempo
E assim fui cada vez mais ficando mais calado
Pois todas as palavras eram suas
E as verdades para você não estavam nuas
Perdão... Por ter te oferecido a minha forma errada de amar
Te amo, mas não da forma que você quer o seu amado
Eu não aprendi a amar assim
Eu esperei tanto a liberdade
Que tive medo ao me ver preso a você
Agora que você não quer a minha amizade
Apague o meu número da sua agenda
E espero que com isso nós dois aprenda
Eu sei que te magoei e você sabe que me sufocou
É melhor assim daqui pra frente
Para o que foi lá atrás não pareça tempo desperdiçado
Deixe de investir nesse amor que talvez nunca tenha começado.

Sob a luz da night.


Engraçado antes de nos conhecer nos comportávamos como dois adultos
Não estava nos meus planos me apaixonar
Mas o seu sorriso me desarmou da minha cautela
Eu fingindo que ainda estava na dela
Coitado de mim esqueci dos minutos
Pois com os seus beijos os meus tempos se renderam
Os seus braços me prenderam
Os nossos poros ao prazer se entregaram
O meu sexo com o seu carinho se erijeceu
E ai não tinha para onde fugir, já era todo seu
Com o teu toque fui ao Paraíso
Mas desci a Terra, pois me lembrei do meu objetivo
Que era amanhecer por entre suas pernas
Me acalentar nos seus seios
Esta noite sou o teu cativo
Para você não me esquecer pode ter a certeza que vou utilizar todos os meios
Todas as noites deixarão de ser eternas
E só passará a restar essa
Estou com fome do teu corpo e sede do teu líquido
Que só vão ser saciados quando atingir o meu objetivo
Que é comer você!
Nem que seja apenas uma noite
Sorrindo você me disse que era casada
Retribuir sorrindo dizendo que não era meu objetivo descasá-la
Brinquei com o destino
Hoje fico com saudade daquela noite
Em que nossos corpos febris se encontraram
Nesse jogo quem levou a pior fui eu
Já que só a tive por uma noite
Sob a luz da night.

sábado, 2 de janeiro de 2010

Televisão: Adeus 2009 e que venha 2010!


Eu já disse que gosto muito de assistir televisão, e esse ano todas as principais emissoras, menos a Band, apresentaram queda na audiência, isso devido às pessoas preferirem o canal fechado ou a internet. 2oo9 vimos na briga pelo ibope que os domingos não são mais os mesmos para a globo e que agora está bem equilibrado essa concorrência e vencerá com certeza quem trouxer novidades para o dia. 2009 foi o ano da saída do Gugu do Sbt para a Record e a volta de Eliana para sbt e mais outras contratações. E a saída de Mylena Ciribelli da globo e Ana Paula Padrão do Sbt para a Record. Não vou fazer uma retrospectiva da TV no ano que passou, mas falar do que gostei e não gostei de assistir. Para começar a globo trouxe pra mim o melhor programa de 2009, Maysa quando fala ao coração, minissérie belíssima que trouxe uma personagem que não conhecia e uma atriz talentosíssima. Caras e bocas recuperou o ibope do horário das sete e será uma novela que deixará saudade, principalmente de Bianca, Cássio e macaco Xico. Tenho que falar de Aline, um seriado jovem com grande elenco, de Amor e sexo que trouxe para as noites de sexta-feira que a terceira idade faz também amor e sexo, o cotidiano de casais homossexuais, o programa em si não esclarece sobre o sexo, apenas faz o debate, que infelizmente não é muito aprofundado por causa pouco tempo destinado ao programa, Laura Muller no altas horas informa mais com certeza. Outro programa que gostei foi Cinquentinha, dei muita risada e um grande elenco. Esses três programas voltam em 2010 para a minha felicidade. No sbt teve a estreia de Esquadrão da moda, qual é o seu talento? Você se lembra?, e volta de Sílvio Santos e da TV animal, os três primeiros programas recuperam a audiência para a emissora do Senhor Abravanel, Esquadrão da Moda chegou a dois dígitos no ibope e junto com Qual é o seu talento? está confirmado para 2010. Falando no Senhor Abravanel ele cometeu muitas indelicadezas esse ano. Na band gostei muito de Mônica Iozzi a oitava integrante do CQC, palmas para a o Pânico na tv, que está tirando o sono do Fantástico, que há tempos não é mais fantástico e a Fazenda , a pior burrice da Record. E os piores da tv de 2009? Que programa foi aquele Norma ( a ideia foi boa, mas Denise Fraga é muito sem graça)e Jogo Duro, programa de mal gosto. No sbt pra mim foi a novela Vende-se um véu de noiva, a emissora se esmerou, mas a senhora do baú não sabe escrever novela cá pra nós, e a pior de todas tirar a Regina Volpato para colocar Christina Rocha. E na Record, colocar Ana Paula Padrão para apresentar JR, mudança de horários várias vezes, desrespeito com os telespectdores, colocando a reta final de Ídolos bem tarde por causa de A fazenda, colocar a fazenda dois tão cedo ( aliás até hoje acredito que foi marmelada o Dado sair campeão, e parece que vai se repetir com Karina Bacchi), colocar Pica-pau antes do JR e dedicar mais de uma hora para esse desenho, ah sem esquecer o fiasco do Geraldo Brasil e o que fizeram com Hoje em dia que era um programa muito bom e colocar Gugu no lugar de Roberto Cabrini. Isso prova que bispo não sabe fazer televisão e olha que Record disse que no final de 2009 iria passar a Globo no ibope, a Globo pode até perder audiência, mas creio que nunca vai deixar de ser a primeira, já é da cultura do povo acompanhar o Boa noite do JN e comentar a novela das oito ( que por sinal nessa não acontece nada absolutamente). E as novidades para 2010? O sbt promete tomar de volta a vice liderança e tudo indica que pode, Solitários estreia dia 11,e eu vou ta lá na frente da tv nesse dia, tem Roberto Cabrini e Richard Rasmussen no sbt. Aliás palmas para Daniela Beyrute, ela está mostrando que entende de tv e é a principal responsável por essa nova fase que a emissora está passando, uma grande ideia foi colocar o seriado Sobrenatural no horário da novela das oito e de A fazenda 2, a fórmula deu tão certo que vai ter série no lugar de Hebe durante as férias e durante a tarde e que tomara que seja no horário da sessão da tarde. Outra coisa precisa de uma sessão de filme na noites de quarta-feira, o canal que colocar com certeza vai ganhar a audiência de quem não gosta de ver futebol como eu. Na globo semana que vem é imperdível a estreia de Dalva e Herivelto uma canção de amor ( e palmas para a globo que reduziu o tamanho das suas minisséries e ganhou em muito em qualidade). Na Record tem os legendários com Marcos Mion e João Gordo ( basta saber se ele vai xingar na emissora de Edir Macedo), o programa pretende seguir a linha cqc e Pânico na tv ( novidade nenhuma essa atitude da record de copiar) e talvez a recuperação nas novelas com Ribeirão do tempo e o reality Quem quer ser milionário? Na band, ótima ideia de colocar um programa para manter quem assitia o cqc durante as férias do programa, estreia semana que vem É tudo improviso, pelos vídeos que eu já vi e pelas chamadas do programa, parece que vai ser uma ótima pedida para as noites de segunda-feira, tem ainda Lucimara Parisi que não está mais no Domingão do Faustão, ela vai apresentar um programa nas madrugadas que ela tem no rádio. Tem a Liga, um jornalístico que estréia também esse ano. Case Angels, que vai entrar em março a pedido de fãs. Tem também a volta na dramaturgia com Anjos do sexo, um casal em crise que recebe palpite de outro casal, mas de anjos ( pela história parece interessante) e a emissora pretende começar a gravar uma novela no Rio de Janeiro no final de 2010. Ah sem se lembrar Uma rosa com amor no sbt, que na internet está bem falada. Torço de verdade que a band e o sbt dê certo com essas produções, é bom lembrar que produziram no passado grandes novelas. A Rede tv também promete nesse ano, ela planeja passar a band até 2012, por isso vai diminuir a venda de horários e tem mega senha, nadando com tubarões ( realitys) e o jornalísco que vou assistir com certeza que fala de episódios que aconteceram e não são mais comentados na imprensa. Se você chegou aqui parabéns, desculpa pelo texto bem longo. Quem comentar acharia interessante que dissesse o que teve de melhor e pior na tv em 2009. E que programa que vai estrear vai assitir concerteza, ah se esqueci de comentar algo pode comentar. E 2010 será o ano de que emissora? A band, sbt e rede tv vem com tudo, pra mim o ano é do sbt. Nessa briga pela audiência quem ganha é nós telespectadores, pois quanto mais opção é melhor.

Central blogs

div align="center">Central Blogs

Colméia

Colmeia: O melhor dos blogs

Ueba

Uêba - Os Melhores Links