Pesquisar este blog

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Íntimos. - Capítulo 11.




Mariana Braga Venturossa - 22 anos - 2003.

Mariana com um grupo de amigos cheirando cocaína, ela olha pro rapaz bonito de olhos verdes e cabelos raspados. Entre uma dosagem e outra, ela percebe que ele também está olhando pra ela.
-Mariana Braga, Arthur Portela, faz direito -dá risada o cara que os apresentam. - eles apertam a mão um do outro.
-E você?
-Vagabunda sustentada pelos pais.
..........................................................................................................
Mariana aos 12 anos entra num bar, escolhe a vítima, um homem de cabelos grisalhos, com barba, se aproxima e senta ao lado dele.
-Uma caipiroska.
-Quantos anos você tem? -Pergunta o homem.
-Importa?
-Crianças não podem beber e tem que tá em casa antes das 10. Tem muito lobo mau solto por aí.
Pega no pau dele sob a calça, alisa, aperta.
-O que você quer garota?
-Por enquanto minha roska e um cigarro. E você?
-Um cu lisinho, sem pêlos, apertado.
-Tenho pêlos clarinhos quase imperceptíveis, e o meu cu  já está largo faz tempo.
Param num quarto de motel, ele roçando a barba nos pêlos pubianos dela, molhando com sua boca a parte intima dela.
Ela de quatro e ele em pé na cama , satifazendo a sua vontade.
Depois do ato, ela ver ele cheirando alguma coisa.
-O que é isso?
-Quer? Cocaína, boa qualidade, branquinha como você.
Ela se desencosta da cabeceira da cama, vê o pó sobre o saco em cima da cama.
-Vai.
Ela se abaixa e cheira. Depois foi parar na banheira, sentindo frio, com a maquiagem toda borrada, se olha no espelho e não reconhece mais nada.
..................................................................................................
Mariana na cama com Arthur Portela, ele joga pó sobre o corpo dela, ele cheira o pó sobre o corpo dela, não deixando nada, provocando arrepio nela e cócegas gostosa de sentir., se beijam, pegam os cigarros, soltam fumaça um na boca do outro, deitam um do lado do outro e continuam soltando fumaça.
-Você já viu nave alienígena?
-Não.
-Já saiu pelada no meio da mata?
-Não. Eu nunca fui pro espaço, mas estou no céu agora com você. - junta a mão dela na dele - E eu não gosto de sair pelada no meio do nada, assim ninguém vai ver. Eu sairia pelada na rua.
-Seria presa por atentado ao pudor.
-Já fui presa.
-Já está acostumada então, adoraria te defender.
Se levanta da cama pelado.
-O que mais você esconde do seu passado?
-É melhor você não saber. E você tem alguma coisa bem podre pra me contar?
-Era mulher, fui operado. - dá risada.
-Hum interessante.
-Mentira. - deita na cama novamente - Mas adoraria ter sido, claro que sapatona, acho pênis feio demais.
-O seu é o mais bonito que já vi. - puxa ele.
Volta pra casa, encontra todos no sofá assistindo filme.
-Pensei que não morava mais aqui. Quando se mudar de vez avisa, pra colocarmos alguém no seu lugar. - Júlia.
-Eu só vim pegar uma muda de roupa, vou dormir na casa de Arthur.
Na semana seguinte, Mariana escovando o dente, entra Júlia.
-O que você fez com o dinheiro do pagamento das contas?
Mariana lava a boca.
-Diga Mariana!
Os rapazes aparecem na porta, ela se mantém calada e abaixa a cabeça.
-Foi pra comprar isso não foi? - joga o pacote no rosto dela.
Mariana começa a chorar.
-Eu iria pagar.
-Não ia. Estamos sem internet e TV a cabo por sua causa.
-Eu não sabia.
-Sabe porque não sabia? Por que você vive mais lá fora se drogando do que aqui dentro de casa. - se retira.
Em outro dia Mariana e Júlia passeando, Mariana ver o pai entrar num hotel com uma mulher.
-Aquele é meu pai.
Mariana corre, sendo quase atropelada.
-Mariana!
Elas entram no hotel, Mariana vai até a recepção.
-Um homem barbudo de cabelos brancos acabou de entrar aqui com uma mulher bonita de cabelos castanhos escuros.
-Não podemos dá informação de hospedes senhora.
-Eu sou a filha dele. Procura aí, Augusto Venturossa.
-Eu repito senhora, não podemos dá informação de hóspedes.
-Ele está traindo minha mãe. - bate no balcão - Ou me dá essa informação por bem ou por mal.
-Eu vou ser obrigada a chamar a segurança.
-Por favor.
-A moça é filha de um político, senador.
-Desgraçado. Em que suíte eles estão?
-Está registrado no nome dela.
Mariana olha o quadro de chavez na parede e sai correndo.
-Peguem essa garota!
-Mariana!
Os guadas a pegam.
-Me larguem!
Vê a moça saindo do elevador, consegue se soltar, vai em direção a ela.
-Vagabunda! - dá um tapa nela.
-Quem é você sua louca?
-Mariana Braga Venturossa.
Os seguranças pegam Mariana.
-A soltem. Venha até a minha suíte.
Elas entram.
-O seu pai não está aqui como vê.
-Ele deve está escondido em outro quarto.
-Eu não sou amante dele.
-Vai me dizer que são amigos? - rir.
-Somos.
-Você é desse tipo de garota rica que banca a prostituta de luxo né?
-Você está me ofendendo. Eu só te recebi aqui em respeito ao seu pai.
-O que vocês fazem então?
-Compras, passeamos juntos, colocamos a conversa em dia.
-Como duas amigas? -rir.
-Exatamente. -se aproxima dela -O seu pai me compreende como ninguém, aliás ele compreende a mulher como ninguém. Acredita em mim seu pai sempre foi fiel e sempre será.
-Mas ele sempre andou com segredinhos.
-Eu sei.
-Então você sabe.
-Como disse, conversamos. Mas isso não deve a mim contar, e sim ele.
Mariana desce e encontra Júlia na saída.
-Eu não engoli essa história de amigos.
Mariana na casa de Arthur, ele assitindo futebol e ela largada num canto. Ela vai até a janela , empina a bunda, encostando os cotovelos na janela, tira o short e depois a calcinha. Ele olha, ela bate na bunda dela, alisa o controle que pegou da TV na bunda dela e fica rebolando. Olha pra ele.
Ele se aproxima, ela vira-se pra ele, entrega o controle, pega na mão dele e o leva pro  quarto.
-Cadê?
Era Mariana com olhos alterados olhando pra Júlia que acabava de sair do banho.
-O quê?
-Você sabe. Cadê?! -empurra Júlia, que cai no chão.
Júlia olha pra ela incrédula.
-Desculpa.
-Eu joguei fora! - se levanta.
-Mentira! - grita -Você escondeu, ou usou tudo.
-Então procure. - vai se retirar, Mariana puxa o cabelo dela.
-Onde está?!
-Ai.
Júlia dá um tapa em Mariana.
-Nunca mais faça isso novamente.
-Essa casa tá um inferno.
-Você mesmo que tem transformado.
Mariana sai e ao passar pela sala joga a TV no chão e sai batendo a porta.
A noite Mariana aparece, os outros três já estavam na cama. Ela para na beira da cama, eles abrem espaço pra ela, ela fica no meio de Vinícius e Pedro. Ela deita e pega o braço de Vinícius e coloca em cima dela, a abraçando.



-
-


Nenhum comentário:

Central blogs

div align="center">Central Blogs

Colméia

Colmeia: O melhor dos blogs

Ueba

Uêba - Os Melhores Links