Pesquisar este blog

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Íntimos - Capítulo 10.




Pedro Nasva - 24 anos - 2003.

Pedro observando a festa encostado na parede, ver Júlia chegar de mãos dadas com um rapaz, que afronta, não bastava os três.
-Você gosta dela não é? - era a loira.
-Acho que sim, me dói vê-la com outro.
-Me dói você gostar de alguém mais do que a mim. O que ela tem que eu não tenho?
Ele vira o rosto pra ela.
-Vida. Ela está viva. - chorando.
Você quer que eu vá embora? Você me faz sentir viva. - chorando.
-Mas você não está, e nunca estará, eu estou vivo, eu quero sentir corpo quente, não o frio. Eu te deixo ir. - larga a mão dela.
Ela passa pelas pessoas, olha pra ele pela última vez e atravessa a porta.
.........................................................................................................
Pedro menino numa festa de aniversário, crianças correndo, adultos conversando  coisas de adulto, e adolescentes achando um saco a festa. Muita comida, música, risadas, de repente tudo acaba, todos correm em direção a piscina e o corpo de um menino boiando, tiram o menino, era o aniversariante. Tentaram o reanimar em vão, estava morto, e a alegria deu lugar a tristeza.
A família de Pedro em solidariedade compareceu ao enterro do menino de 9 anos apenas. Era o primeiro velório de Pedro, o seu primeiro contato com a morte. E percebe o menino ao lado do seu caixão assustado, olhando todos chorando pela sua morte. Até que ele se vê dentro do caixão, fica assustado, olha pra Pedro, percebe que ele está o vendo. Pedro se abraça a cintura da mãe. E o menino continuava pedindo ajuda.
......................................................................................................
Pedro vai até a cozinha, prepara o café e ver todos a mesa, seminus.
-Vocês adoram andar quase pelados em casa.
Pedro derruba chocolate em Vinícius.
-Desculpa.
Mariana lambe, limpando o local.
-Ainda tem um pouquinho aqui.
Ela tira a cueca dele, começa a chupá-lo.
Júlia se levanta e vai até Pedro.
-Abre a boca. - ele obedece.
Ela derrama chocolate por sua boca e o beija. Ela deita sobre a mesa, quase derrubando  tudo. Ele derrama café nela.
-Ai tá quente.
Ele sopra o local, tira a calcinha dela, pega uma fatia de melancia e passa pela perna dela, chega até o meio das pernas dela, ela gemendo, a melancia estava gelada. Mariana joga uvas por cima de Júlia, todos catam  as uvas com a boca, descobrindo os pontos fracos de Júlia.
Júlia senta em cima da mesa, puxa Pedro pelo pênis, faz um copo de café com leite, e mexe com o pau dele, misturando o leite, o café e o açucar, Pedro gostando da ideia dela. Ela se põe de quatro sobre a mesa e chupa ele. Mariana também senta na mesa, passa manteiga em duas fatias de pão, coloca o pau de Vinícius  como recheio. Dá a primeira mordida, Vinícius quase gozando, não sentia medo que ela comesse ele literalmente. Mariana pensava  que era o melhor recheio que poderia ter o seu café da manhã.
Vinícius coloca queijo e presunto no rosto de Mariana, come, também comendo ela. Júlia passa uma fatia de pão pelos seios dela, desce até a vagina dela, dá para Pedro comer, ele come todo o pão, quase levando os dedos dela, chupando, saboreando.
Júlia deita de bruços sobre a mesa, beija Mariana, e Pedro e Vinícius se beijam. Ela vê um pedaço de aipim grande, torto, dá para Pedro.
-Enfia na sua vadia.
Ele passa pela portinha, estava com manteiga e enfiou devargazinho, e o aipim se perdeu dentro dela, e depois ele.
Depois todos eles foram parar no quarto, e novamnete na cama. Mais tarde Pedro levanta, senta numa cadeira e faz um copo de leite.
Ver sua mãe encostada na pia, suspendendo a saia, mostrando a sua vagina pra ele, depois ele vê um menino, era ele com seus 12 anos. O menino olha pra ele, abre a boca, põe a língua pra fora, e a ponta da lingua  lambe a abertura da mãe, os lábios dele tocando os lábios debaixo dela. Depois ele ver o pai de calça arreada e pau ereto admirando a cena, pegando no pau dele.
A mãe deita sobre a mesa olhando pra ele, e ele com 12 anos preparando-se pra penetrar dentro da mãe, chupa o pai. Nessa hora Pedro esqueceu até o leite e deixou derramar no chão.
O pai fala.
-Não Pedro, sua mãe que vai te comer.
Pedro sai dali, lava o rosto, se olha no espelho, volta pra cozinha e não tinha mais nada lá, só o leite derramado no chão.
Pedro e Júlia no ônibus no dia seguinte, no fundo do ônibus. O ônibus estava vazio pelo horário. Eles verem o cobrador cochilando. Eles se beijam, ela coloca a mão em cima do pau dele, estava duro e volumoso nas calças, abre.
-O que está fazendo?
-Me divertindo.
-Alguém pode ver.
-E essa é a graça da brincadeira.
Coloca pra fora, começa a bater pra ele, o cobrador boceja, salta um passageiro, e sobe outro, o cobrador acorda. Ela deixa cair uma coisa e se abaixa e chupa Pedro, o cobrador olha pra trás e acha estranho, Pedro tenta disfarçar e em pouco tempo goza.
Chegam no ponto deles, se levantam.
-Boa noite. - diz Pedro sem graça.
Júlia solta um beijo pro cobrador, e saem os dois de braços em volta dos ombros  dando risada.
Na festa , a festa era de aniversário, o aniversário de Júlia. Muita bebida, som alto, muita gente, divertida, bonita. Júlia troca o disco pra um mais dançante e apresenta Darci aos amigos , e todos lembram que ele era o quase namoradinho dela no campo.
Mariana já estava drogada no sofá como de costume, Vinícius dançando atraindo os olhares de todos, o centro das atenções, Júlia não desgrudava do tal Darci.
Alguém bate na porta, era a senhora chata.
-O que foi?
-O som está muito alto. - ela esguicha o olho pra ver como está lá dentro.
-Obrigada querida por avisar. Quer beber alguma coisa, fumar um baseado?
-Eu sou uma senhora cristã - se retira.
Júlia bate a porta e aumenta o som.
-Ela não disse pra abaixar? - Pedro.
-Eu sou uma menina desobediente. Eu vou ao banheiro. - beija Darci e depois Pedro.
Ela se retira, Pedro aproveita a oportunidade e vai conversar com Darci.
-Saia daqui.
-O quê?
-Esquece ela, se não corto o que você tem aí no meio de suas pernas, se continuar fudendo com ela.
-Ela é do tipo que não tem dono.
-Eu sei, eu sei também que sou do tipo que capo pessoas.
Pega no saco dele e aperta.
-Saia daqui, antes que eu estoure.
Darci se retira, Júlia volta.
-Cadê Darci?
-Não sei.
A festa termina  por volta das 2:00 da manhã e decidem aproveitar o presente de aniversário da família pra Júlia, um carro. Vinícius coloca a cabeça pra fora sentindo a brisa  noturna, grita com uma garrafa de whisky na mão, Pedro fumando maconha no banco da frente, da pra Júlia  que está dirigindo. Mariana já tinha cheirado todas, sobe em cima de Vinícius, tira a blusa e o sutiã, e Vinícius coloca o rosto entre os seios dela, enquanto ela esvaziava  a garrafa. Ela beija Pedro e Vinícius come ela no banco de trás. o carro é parado por uma viatura.
-Veste a blusa Mariana.
Mariana veste a blusa.
-Os documentos do carro e os de vocês.
Eles entregam e os policiais se afastam.
-Puta merda. - Pedro.
Mariana começa a rir.
-Pára Mariana. - Júlia.
Voltam
-Estão bêbados?
-Estávamos numa festa. É meu aniversário.
-Parabéns, saiam do carro.
Os dois rapazes tiram Mariana, e ela vomita no sapato do policial.
-Desculpa.  -todos ficam sem graça.
Mariana não consegue ficar em pé.
Vinícius vai acender um cigarro.
-Apaga isso Vinícius. - Júlia.
-Estou nervoso, quando estou nervoso vem a vontade de fumar.
-Tem droga dentro do carro. - um outro policial.
E todos vão pra delegacia.
-De quem é essa droga?
-Nossa, consumo próprio. - fala Pedro.
Mariana rir.
-Desculpa delegado, nós exageramos, somos jovens.
-Eu sei, jovens exageram. Eu devia deixar vocês todos passarem uma noite atrás das grades.
-Isso é uma arbitrariedade! - Vinícius se levanta.
-O quê? Levem eles.
-Droga Vinícius. -Júlia.
Levam eles.
-Até que você é gostosinho policial. - Mariana pega no peito dele.
Ele coloca ela junto com Júlia numa cela e os outros dois numa cela em frente a delas.
-Pelo menos poderiam deixar a gente na mesma cela. - Júlia.
-Que decepção não tem uma sapatona machona aqui. - Mariana.
-Meu Deus, presos. - Pedro.
-Nossos pais vão tirar a gente daqui. - Mariana.
-Cale a boca de Mariana por favor. - Vinícius.
-Meu pai nem ligaria se eu virasse comida de peixe, acho que até iria gostar.
Mais tarde a mãe de Mariana vem buscar a filha.
-O que você tem na cabeça hein garota? Titica de galinha ou essas porcarias que você usa?
-Eu só saio daqui com meus amigos.
-Eu pago a fiança deles também. Você vai me levar a falência ou a óbito desse jeito.






Nenhum comentário:

Central blogs

div align="center">Central Blogs

Colméia

Colmeia: O melhor dos blogs

Ueba

Uêba - Os Melhores Links