Pesquisar este blog

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Como qualquer outra história.



João conheceu Pedro no ginásio
E sem querer passou a perceber o quanto ele era fundamental
Para ter mais cores o seu dia
Todos percebiam algo estranho naquela amizade
Quanto eles aproveitavam a companhia um do outro no rossio
E assim de forma não  acidental
Outras partes do corpo foram percebidas sem ousadia
E não mais dava pra esperar o dia seguinte devido a ansiedade
Até que um beijo aconteceu
Sem culpados, feridos, apenas merecidos
Tinha que ser escondido, o pai não perdoaria
A mamãe morreria
Sem ver o quanto o filho estava feliz e agradecido
Sem a presença de nenhum gineceu
Iam pra escola juntos... Voltavam juntos
Se masturbavam juntos com compromisso
Chupavam um ao outro com aviso
Perderam a virgindade juntos jurando amor
Um era mais ciumento do que outro por encanto
Mas equilibravam nas pazes onde faziam bem isso
E lá ensaiavam declarações de amor no improviso
João um dia contou pra sua irmã o que sentia
Pedro foi chamado pra uma conversa séria com sua mãe
A irmã de João aconselhou a contar pros pais
A mãe de Pedro o interrogou sobre João
João tomou coragem  e contou aos pais a sua angustia
Pedro confessou todo o amor que sentia por João a mãe
Os pais abraçaram João sem ademais
A mãe de Pedro fez escândalo, se culpou, o prometeu o afastar de João
O pai lhe deu uma surra de deixar em carne viva
Mas que não doeu mais em não ser aceito pela própria família
João e Pedro ficaram sem se ver
A saudade cresceu, não tinha abrigo em um abraço
Lamentavam por pessoas que não entendiam que encontrar um amor era uma dádiva
A família de Pedro ameaçou se mudar, trocar a mobília
Até que os pais de João bateram na porta da casa de Pedro sem se arrepender
Pela felicidade do filho valia essa queda de braço
João e Pedro ganharam consentimento da família
Saíram juntos queriam aproveitar o tempo perdido
Começaram a fazer planos que iam além da noite
Foram pra balada e se beijaram muito
Saíram de madrugada sem vigília
Três homens o seguiram aguerridos
Começaram a bater sem convite
Socos e pontapés gratuito
Não paravam mesmo pedindo pra parar
Não tinham ajuda nenhuma
A festa não tinha hora pra terminar
Uma faca apareceu e acabou com aquele inocente romance
Foram 8 facadas desferidas sem clemência
E jogaram um menino da ponte sem inocência
Palavras como viados, bicha eram ditas pra matar
A diversão acabou sem nenhuma chance
João terminou com seu rosto ferido, costela quebrada
Pedro foi encontrado sem vida
Sem beijo de namorado, sem beijo de sua mãe que o esperava aflita
Sem se tornar médico
Sem viagem para além do Atlântico ficando apenas na avenida
Sem casa com abóbada
Sem com isso ficar afoito
Com o sangue ainda nas mãos de algum acético
Estavam apenas de mãos dadas os namorados
Uma vida de 15 anos em apenas uma noite foi calada.



Nenhum comentário:

Central blogs

div align="center">Central Blogs

Colméia

Colmeia: O melhor dos blogs

Ueba

Uêba - Os Melhores Links